Selo do Amor

ūüćÉūüĆĻūüćÉ SELO DO AMOR ūüćÉūüĆĻūüćÉ
Emmanuel

Pelo caminho da ascens√£o espiritual, denominado “cada dia”, encontrar√°s variados recursos de aprimoramento, a cada passo.

√Č o trabalho que te espera a no√ß√£o de responsabilidade no devotamento ao dever.
√Č a oportunidade de praticar o bem, incessantemente.
√Č o companheiro da parentela consangu√≠nea que te n√£o compreende ainda e, junto do qual, podes exercer o minist√©rio do aux√≠lio e do perd√£o.
√Č o advers√°rio que te combate os prop√≥sito de melhoria com quem a luta te possibilita a hora de paci√™ncia e aprendizado.
√Č a tenta√ß√£o sedutora, que nasce das profundezas de teu pr√≥prio ser, em cujo clima √© poss√≠vel desenvolver a tua resist√™ncia para a aquisi√ß√£o de novo poder moral.
√Č o espinho que te fere ou a pedra que te maltrata, que se fazem benfeitores de tua jornada, por te descerrarem o santu√°rio da prece e da humildade, se a tua mente vive acordada √† luz do Senhor.
√Č a dificuldade que, muitas vezes, te surpreende nos l√°bios dos mais queridos, constrangendo-te √† consolida√ß√£o de virtudes imprecisas.

Segue adiante, amando, crendo, esperando e servindo sempre.
Cada obstáculo e cada amargura guardam raízes no processo educativo de nossa própria regeneração.
Cada ensinamento tem o seu lugar, a sua hora e a sua finalidade.

Aproveita semelhantes b√™n√ß√£os, de conformidade com os padr√Ķes de Jesus que passou entre n√≥s fazendo o bem, que nos ama desde o princ√≠pio e que permanecer√° conosco, at√© o fim dos s√©culos.

Dir√°s, talvez, diante de nosso apelo: – “N√£o compreendo, n√£o me lembro, n√£o posso…

O Senhor, entretanto, n√£o nos imp√Ķe fardos que n√£o possamos suportar, n√£o nos endere√ßa problemas que n√£o estejamos aptos a resolver e jamais esque√ßamos que a reencarna√ß√£o traz o selo do amor divino, em benem√©rito esquecimento, enriquecendo-nos de b√™n√ß√£os de reaproxima√ß√£o, fraternidade e servi√ßo, a fim de executarmos, sem percal√ßos invenc√≠veis, o trabalho de nossa pr√≥pria reden√ß√£o.

(Do livro “Instrumentos do Tempo”, pelo Esp√≠rito Emmanuel, Francisco C. Xavier)