Desajustes

Enquanto o progresso caminha, infundindo novos conhecimentos no espírito humano, acerca das forças que regem o Universo, o sofrimento dos desajustados não mostra diferença.
Na época de profundas transformações que atravessas, não deixes que o materialismo te resseque as fontes do coração.
Ergue a esperança de quantos se acham ameaçados pelo desânimo.
Auxilia as plantações de fé onde surjam para que não lhes faltem proteção e segurança.
Não nos reportamos unicamente aos companheiros considerados idosos na atualidade terrestre que, aos poucos, se reúnem, aqui e além, estabelecendo correntes de simpatia para a assistência mútua.
Referimo-nos a todos os corações que a violência da desvinculação precipitada relega às sombras do desequilíbrio e do desalento.
Aqui, são homens ou mulheres, empenhados à formação da família, que, de um momento para outro, se reconhecem a sós, em franco desespero, à frente de compromissos esposados a dois; ali, são criaturas na mocidade primeira, atiradas ao descontrole emotivo, conquanto por vezes acobertadas por sólido telhado econômico, mas interiormente abandonadas aos próprios impulsos, buscando, em muitos casos, um suposto refúgio nos tóxicos, no qual nada mais encontram, além da perturbação ou da loucura; além, são crianças, órfãs de pais vivos, entregues aos conflitos dos adultos que as trouxeram à existência.
E a fila dos marginalizados engrossam na direção dos pousos de indisciplina, dos sanatórios de recuperação das forças mentais, dos ninhos de delinquência ou das enfermidades em que se instala o corredor para a morte prematura.
Para esse desfile doloroso de almas frustradas é que se te pede apoio.
Indiscutivelmente, não poderias suportar a carga de dezenas dos desajustados que enxameiam atualmente no mundo.
Em razão disso, ninguém espera de ti espetáculos de grandeza, para os quais não nos achamos talhados. Apenas se te roga a possível parcela de trabalho a fim de que o lume da fé seja sustentado na Terra.
Ante as nuvens de perturbação que se avolumam sobre quase todos os grupos sociais do mundo, ninguém exige te faças um sol efetuando a extinção total das trevas.
Por amor a Deus e amor ao próximo, traze a tua migalha de amor e a tua réstia de luz.

.Emmanuel – Francisco Candido Xavier